RESUMO HISTÓRICO:

A raça é originária da Ilha Terra Nova (Newfoundland), descendente de cães indígenas e do grande cão urso preto, introduzido pelos Vikings depois do ano 1100. Com a chegada de pescadores europeus, uma variedade de novas raças ajudou a reformar e revigorar a raça, mas as características essenciais permaneceram. Quando a colonização da Ilha começou em 1610, o Terra Nova já estava largamente em poder de sua própria morfologia e comportamento natural. Essas características lhe permitiram resistir aos rigores do clima extremo e às adversidades do mar quando ele puxava cargas pesadas em terra ou servindo como cão d’água e salva-vidas.

 

APARÊNCIA GERAL: é maciço, com corpo poderoso, bem musculoso e bem coordenado em seus movimentos.

 

PROPORÇÕES IMPORTANTES: o comprimento do tronco, da ponta do ombro até a ponta da garupa é maior do que a altura na cernelha. O tronco é compacto. O tronco das fêmeas pode ser ligeiramente mais longo e é menos maciço do que o do macho. A distância da cernelha à parte debaixo do peito é ligeiramente maior do que a distância da parte debaixo do peito até o solo.

 

COMPORTAMENTO / TEMPERAMENTO: a expressão do Terra Nova reflete benevolência e suavidade. Digno, alegre e criativo, é conhecido por sua verdadeira gentileza e serenidade.

 

CABEÇA: maciça. A cabeça da fêmea segue a mesma conformação que a do macho, porém é menos maciça.

 

REGIÃO CRANIANA

Crânio: largo, com um ligeiro arqueamento e um occipital fortemente desenvolvido.
Stop: evidente, mas nunca abrupto.

 

REGIÃO FACIAL

Trufa: grande, bem pigmentada, narinas bem desenvolvidas. Cor: preta em cães pretos e brancos e pretos; marrom em cães marrons.
Focinho: definitivamente quadrado, profundo e moderadamente curto, coberto de pêlos curtos, finos e sem rugas. Os cantos da boca são visíveis, mas não exageradamente pronunciados.
Lábios: suaves.
Mordedura: em tesoura ou torquês.
Olhos: relativamente pequenos, moderadamente profundos; são bem separados e não mostram a terceira pálpebra. Cor: marrom escuro em cães pretos e brancos e pretos; um tom mais claro é permitido em cães marrons.
Orelhas: relativamente pequenas, triangulares, com as pontas arredondadas, inseridas bem para trás, ao lado da cabeça e bem aderentes. Quando a orelha do cão adulto é colocada para a frente, ela alcança o canto do olho do mesmo lado.

 

PESCOÇO: forte, musculoso, bem inserido nos ombros, suficientemente longo a fim de permitir um porte digno. O pescoço não deve apresentar barbelas em excesso.

 

TRONCO: estrutura óssea maciça. Visto de perfil, é profundo e vigoroso. Linha superior: nivelada e firme da cernelha até a garupa.

Dorso: largo.
Lombo: forte e bem musculoso.
Garupa: larga, inclinada a um ângulo de aproximadamente 30º.
Peito: largo, cheio e profundo, com costelas bem desenvolvidas.
Abdômen e linha inferior: quase nivelados, nunca esgalgados.

 

MEMBROS

Anteriores: as pernas dianteiras são retas e paralelas, também quando o cão está andando ou trotando levemente.
Ombros: muito musculosos e bem angulados.
Cotovelos: próximos ao peito.
Metacarpos: ligeiramente inclinados.
Patas dianteiras: grandes e proporcionais ao tronco, bem redondas e espessas com dedos firmes e compactos. Membrana entre os dedos presente.
Posteriores: devido ao seu poder de propulsão para puxar cargas, nadar e cobrir o terreno com eficiência, a estrutura dos posteriores do Terra Nova é de suma importância.
A pélvis deve ser forte, larga e longa.
Coxas: largas e musculosas.
Joelhos: bem angulados, mas não a ponto de parecer agachado.
Pernas: fortes e moderadamente longas.
Jarretes: relativamente curtos, bem descidos e bem separados; paralelos um ao outro; não virando nem para dentro, nem para fora.
Patas posteriores: firmes e fechadas. Os ergôs devem ser removidos.

 

CAUDA: a cauda age como um leme quando o Terra Nova está nadando; por isto ela é larga e forte na raiz. Quando o cão esta de pé, a cauda cai, com possibilidade de uma pequena curva na ponta; alcançando ou um pouco abaixo do jarrete. Quando o cão está em movimento ou excitado, a cauda é portada reta com uma ligeira curva para cima, mas nunca curvada sobre o dorso ou entre as pernas.

 

MOVIMENTAÇÃO: o Terra Nova se movimenta com bom alcance das pernas dianteiras e forte propulsão das pernas traseiras, dando a impressão de poder sem esforço. Um ligeiro balanço do dorso é natural. À medida que a velocidade aumenta, o cão tende ao “single track”, com a linha superior permanecendo nivelada.

 

PELAGEM

Pêlo: tem uma pelagem dupla, resistente à água. A pelagem de cobertura é moderadamente longa e reta, sem ser encaracolada. Uma ligeira ondulação é permitida. O subpêlo é macio e denso, mais denso no inverno do que no verão, mas sempre encontrado em uma certa extensão na garupa e no peito. O pêlo na cabeça, focinho e orelhas é curto e fino. As pernas dianteiras e traseiras são franjadas. A cauda é completamente coberta por pêlos longos densos, mas sem formar uma bandeira.
Trimming não é desejado.

 

COR: preto, branco e preto e marrom.

• Preto: a cor tradicional é o preto. A cor deve ser a mais uniforme possível, mas um ligeiro tom de queimado de sol é permitido. Manchas brancas no peito, dedos e/ou na ponta da cauda são permitidas.
• Branco e preto: esta variedade é de importância histórica para a raça. A marcação preferida é uma cabeça preta, de preferência com uma faixa branca que vai do focinho ao crânio passando entre os olhos, uma sela preta com manchas iguais e uma garupa preta, além de preto no começo da cauda. O restante da pelagem é branca e pode ter um mínimo de pequenas manchas pretas.
• Marrom: a cor marrom vai do chocolate ao bronze. Manchas brancas no peito, dedos e/ou ponta da cauda são permitidas. Cães preto e branco e cães marrons são julgados na mesma classe dos cães pretos nas exposições.

 

TAMANHO / PESO: altura média na cernelha é:

para machos adultos: 71 cm.
para fêmeas adultas: 66 cm.
peso médio é de aproximadamente:
para machos adultos: 68 kg.
para fêmeas adultas: 54 kg.
Tamanho grande é desejado, mas não em detrimento da simetria, estrutura poderosa e movimentação correta.

 

FALTAS: qualquer desvio dos termos deste padrão deve ser considerado como falta e penalizado na exata proporção de sua gravidade.

Aparência geral: falta de subsrância e pernas longas.
Estrutura geral dos ossos: aparência esgalgada, ossos finos.
Caráter: agressividade, timidez.
Cabeça: estreita.
Focinho: pontudo ou longo.
Lábios: pronunciados.
Olhos: redondos, globulosos, amarelos, mostrando a 3º pálpebra.
Dorso: carpeado ou selado
Cauda: curta, longa, torcida, ponta enrolada.
Anteriores: metacarpos cedidos, dedos abertos, virando para fora ou para dentro, falta da membrana entre os dedos.
Posteriores: joelhos retos, jarretes de vaca, pernas em barril, dedos de pombos (voltando para dentro).
Movimentação: afetada, arrastada, de caranguejo (andar de lado), movimento próximo demais, cruzando, virando para dentro ou para fora, hackney, passo de camelo.
Pêlos: pelagem completamente aberta, falta de subpêlo.

 

FALTAS ELIMINATÓRIAS

• mau temperamento;
• prognatismo superior ou inferior, torção de mandíbula;
• pelagem curta e rasa;
• manchas de outra cor, a não ser brancas, em cães pretos e marrons;
• qualquer outra cor além do preto, branco e preto ou marrom.

 

NOTAS:

• os machos devem apresentar os dois testículos, de aparência normal, bem descidos e acomodados na bolsa escrotal.
• todo cão que apresentar qualquer sinal de anomalia física ou de comportamento deve ser desqualificado.

 

FONTE: CBKC (CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA)