RESUMO HISTÓRICO:

O Boiadeiro Bernês é um cão de fazenda de origem ancestral, que nos pré-alpes bernenses e na região rural do interior da cidade de Berna, foi utilizado como cão de guarda, de tração e de rebanho. Originalmente chamado de Dürrbächler, nome do lugarejo e do albergue de Dürrbäch, próximo a Riggisberg, onde este boiadeiro tricolor de pelos longos foi especialmente numeroso. Em 1902, 1904 e 1907, exemplares desta raça foram apresentados em exposições caninas e em 1907 alguns criadores da região de Burgdorf decidiram promover a criação destes cães, fundando o “Schweizerischer Dürrbach-Klub” (Clube Suíço de Dürrbach), fixando os traços característicos da raça. Em 1910, numa exposição em Burgdorf, onde vários agricultores desta região apresentaram seus cães, já existiam 107 exemplares. A partir desta data, este cão, rebatizado por Boiadeiro Bernês, seguindo o exemplo de outras raças de boiadeiros suíços, expandiu-se rapidamente por toda a Suíça e sul da Alemanha. Hoje o Boiadeiro Bernês é conhecido e apreciado no mundo inteiro como cão de família, graças a sua admirável pelagem tricolor e a sua grande adaptabilidade.

 

APARÊNCIA GERAL: de pelagem longa, tricolor, forte e ágil cão de trabalho; de tamanho médio; com membros vigorosos; harmonioso e bem balanceado.

 

PROPORÇÕES IMPORTANTES
• em relação à altura na cernelha: comprimento do tronco (medido da ponta do ombro à ponta da nádega) = 9:10, mais compacto do que longo.
• relação ideal da altura na cernelha: profundidade do peito = 2:1.

 

COMPORTAMENTO / TEMPERAMENTO: confiável, atencioso, vigilante, corajoso diante de situações do cotidiano; amável e fiel para com a família; seguro de
si e pacífico com estranhos; de temperamento moderado e dócil.

 

CABEÇA: forte. Balanceada em tamanho com a aparência geral do cão; não muito maciça.

 

REGIÃO CRANIANA
Crânio: visto de frente e de perfil ligeiramente arredondado. Sulco frontal pouco marcado.
Stop: bem definido, mas sem ser muito pronunciado.

 

REGIÃO FACIAL

Trufa: preta.
Focinho: forte, de comprimento médio; cana nasal reta.
Lábios: bem aderentes; pretos.
Maxilares / Dentes: fortes, completa mordedura em tesoura (os terceiros molares (M3) não devem ser levados em consideração). Mordedura em torquês é aceitável.
Olhos: marrons escuros, amendoados, com pálpebras bem aderentes. Não inseridos muito profundos, nem proeminentes. Pálpebras soltas são defeitos.
Orelhas: tamanho médio, inseridas altas, de forma triangular, ligeiramente arredondadas nas pontas, em repouso, portadas caídas, rentes à cabeça. Em alerta, a parte posterior da inserção se eleva enquanto as bordas anteriores das orelhas permanecem juntas à cabeça.

 

PESCOÇO: forte, musculoso, de comprimento médio.

 

TRONCO – Linha Superior: descendo ligeiramente do pescoço em direçao à cernelha, em uma linha harmoniosa, continuando, então, reto e nivelado.
Dorso: firme, reto e nivelado.
Lombo: largo e forte, visto de cima, ligeiramente menos largo do que o peito.
Garupa: suavemente arredondada.
Peito: largo e profundo, chegando até os cotovelos; antepeito distintamente desenvolvido; caixa torácica de seção longa e oval, se estendendo tão para trás quanto
possível.
Linha inferior: ligeiramente em elevação do peito ao posterior.

 

CAUDA: emplumada cheia, pendendo até o jarrete; em repouso, é portada baixa; em movimento, eleva-se até o nível do dorso ou pouco acima.

 

MEMBROS: ossos fortes.

Anteriores: vistas de frente, as pernas são retas e paralelas, colocadas afastadas.
Ombros: longos, fortes e bem para trás, formando um ângulo não muito obtuso com os braços; bem articulados ao peito e bem musculosos.
Braços: longos, colocados oblíquos.
Cotovelos: bem aderentes, não virando nem para dentro, nem para fora.
Antebraços: fortes e retos.
Metacarpos: vistos de perfil, quase verticais, firmes; vistos de frente, em linha reta com os membros anteriores.
Patas anteriores: curtas, arredondadas; com dedos fechados e bem arqueados. Não virando nem para dentro, nem para fora.
Posteriores: vistos por trás, são retos e paralelos, não muito próximos.
Coxas: longas, largas, fortes e bem musculosas.
Joelhos: bem angulados.
Pernas: longas e oblíquas.
Articulação dos jarretes: fortes e bem anguladas.
Metatarsos: quase verticais. Ergôs devem ser removidos (exceto em alguns países onde são proibidos por lei).
Patas posteriores: ligeiramente menos arqueadas que as patas anteriores, não virando nem para dentro, nem para fora.

 

MOVIMENTAÇÃO: saudável e balanceada em todos os movimentos, cobrindo muito terreno; passos livres, alcançando bem para a frente, com boa propulsão nos posteriores;

no trote, indo e vindo, as pernas se movem em uma linha reta.

 

PELAGEM

Pelo: longo, brilhante, reto ou ligeiramente ondulado.

 

COR: preto intenso, com manchas castanho avermelhado, nas bochechas, acima dos olhos, nos quatro membros, no peito e com manchas brancas assim distribuídas:
• manchas brancas na cabeça, claramente definidas e simétricas: uma listra que se alarga em direção à trufa, em ambos os lados do focinho; a listra não deve atingir as
manchas castanhas acima dos olhos; e as manchas brancas do focinho não devem ultrapassar as comissuras labiais.
• manchas brancas moderadamente largas, contínuas na garganta e no peito.
• Desejado: patas brancas; ponta da cauda branca.
• Tolerado: pequenas manchas brancas na nuca; pequenas manchas brancas sob a cauda.

 

TAMANHO

Altura na cernelha: machos: 64 a 70 cm. ideal: 66 a 68 cm.
fêmeas: 58 a 66 cm. ideal: 60 a 63 cm.

 

FALTAS: qualquer desvio dos termos deste padrão deve ser considerado como falta e penalizado na exata proporção de sua gravidade.

• comportamento inseguro.
• ossatura fina.
• inserção irregular dos incisivos contanto que a mordedura fique correta.
• ausência de qualquer outro dente do que os 2 PM1(pré-molares l); os M3 (molares
3) não devem ser considerados.
• Pelagem:
– pelos distintamente enrolados
– faltas de cor e manchas:
– ausência de branco na cabeça.
– faixa branca muito larga e/ou o branco do focinho chegando bem atrás das comissuras labiais.
– colar branco.
– grande mancha branca na nuca (diâmetro maior do que 6 cm).
– mancha branca sob a cauda (tamanho máximo de 6 cm).
– manchas brancas nas pernas dianteiras alcançando distintamente atrás na metade dos metacarpos (botas).
– manchas brancas assimétricas que prejudiquem na cabeça ou no peito.
– pequenas manchas pretas ou listas pretas dentro do branco no peito.
– branco “sujo” (fortes manchas de pigmentação).
– pelagem preta com um toque de marrom ou vermelho.

 

FALTAS ELIMINATÓRIAS

• agressivo, ansioso ou distintamente tímido.
• trufa rajada.
• prognatismo superior ou inferior, torção de mandíbula.
• um ou os dois olhos azuis.
• entrópio ou ectrópio.
• cauda extremamente enroscada, cauda em anel.
• pelagem curta, pelagem dupla (Stockhaar – pelo reto).
• outra pelagem senão a tricolor.
• outra cor básica da pelagem que não seja o preto.

 

NOTAS:

• os machos devem apresentar os dois testículos, de aparência normal, bem desenvolvidos e acomodados na bolsa escrotal.
• todo cão que apresentar qualquer sinal de anomalia física ou de comportamento deve ser desqualificado.

 

FONTE: CBKC (CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA)